segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

EU QUERO SABER O QUE EU QUERO

"Então, o que você quer?"

Eu farei freqüentemente esta pergunta, após ouvir alguém me falar sobre como a sua vida não segue do modo como eles querem. "Eu não sei o que eu quero, mas isto eu não quero", é usualmente a resposta. É muito difícil criar a vida que você deseja, se você não identificou o que quer realmente. Começando com as técnicas de definição do objetivo dos anos 80 e avançando através de afirmações e visualizações, muitos dos proponentes de Crie a Sua Própria Realidade, lhes dizem que o primeiro passo para criar um futuro mais positivo é ser específico quanto ao que vocês querem.

Mas e se, honestamente, você não sabe?

Não desanimem, há um modo de descobrir. Comecem, afirmando enfaticamente: "Eu quero saber o que eu quero." Esta simples afirmação do objetivo dá a sua mente subconsciente algo em que trabalhar. Então simplesmente abram a sua mente e permitam que os dados comecem a chegar. Notem os momentos durante o dia em que vocês estão sentindo emoções positivas, tais como felicidade, paz, contentamento, entusiasmo e assim por diante. O que está acontecendo nesses momentos? O que vocês estão fazendo? Em que ambiente estão? Com que tipos de pessoas vocês estão? Em que tipos de interações vocês estão engajados? Sentir emoções positivas é um sinal de que vocês estão fazendo algo que querem. Vocês estão alinhados com os seus mais intensos desejos e o seu ser interno lhes dá informação na forma de emoções positivas.

Procurem padrões com os quais se sintam bem. Vocês estão sempre com crianças? Vocês estão em contato com a natureza? Ficam mais felizes quando desafiados por um problema difícil? Vocês se sentem energizados quando estão ajudando outros ou isto os esgota? Vocês gostam de estar ao redor de pessoas que são muito inteligentes ou vocês preferem ser o professor?

Percebam o que está acontecendo quando vocês se sentem bem. A coisa interessante sobre esta técnica é que a Lei da Atração dará a sua contribuição. Se vocês concentrarem a sua atenção em algo, vocês atrairão para a sua consciência outros pensamentos e eventos semelhantes. Assim quando vocês se concentram em sentimentos agradáveis, começarão a experienciar mais sentimentos agradáveis. Quando focalizam a sua atenção em descobrir o que querem, vocês atrairão para a sua consciência mais exemplos de coisas que querem. Vocês começarão a notar que estão se sentindo bem mais freqüentemente. Então a lista de coisas que querem em sua vida aumentará mais e mais. Acumulem detalhes sobre o que vocês querem. Peguem uma caixa de sapatos e a preencham com exemplos. Cortem gravuras de revistas e de jornais mostrando coisas que vocês querem, tais como, roupas, carros, móveis, jóias, casas, lazer, pessoas engajadas em atividades que vocês acham que apreciariam, etc. Anotem e descrevam o que estão fazendo quando percebem que estão se sentindo bem. Quando encontrarem alguém que tenha um traço agradável da personalidade que gostariam de projetar, anotem. Acumulem detalhes sobre todas as pequenas coisas que querem e coloquem todas elas na caixa.

Quando tiverem acumulado detalhes suficientes, é o momento de organizá-los em um quadro mais completo. Um método que eu tenho visto que funciona bem, é colar as gravuras e anotações em um cartaz. Algumas pessoas gostam de criar um cartaz, estilo colagem, com gravuras e anotações entrelaçadas, sem nenhuma ordem em particular. Outras gostam de subdividir o cartaz em categorias, tais como a casa, o trabalho, viagens, relacionamentos, etc.

Caso sejam um escritor, podem preferir descrever uma cena com palavras. Verlaine Crawford, em seu livro, Terminando a Batalha Interior, sugere que vocês observem o que querem em muitas áreas de sua vida, tais como, a saúde, a prosperidade, a auto-expressão, crescimento pessoal, crescimento espiritual, etc. Escrevam as afirmações sobre o que querem, como se já o tivessem. Usem o "Eu" nas afirmações para torná-las pessoais e reais para vocês. Após ter passado por este exercício, eu encontrei estas afirmações muito específicas sobre o que eu quero.
Usem-nas como exemplos para alcançarem as suas.

AUTO-EXPRESSÃO

O universo me recompensa abundantemente por expressar a minha paixão pela vida a cada dia. Eu canto, eu danço, eu escrevo, eu curo, eu ensino, eu componho músicas celestiais, eu canalizo o amor incondicional e a sabedoria. Eu sinto a vitalidade criativa da vida circulando através de mim.

VIAGEM

Eu viajo para lugares maravilhosos, exóticos, quando o tempo está ensolarado e quente. Eu passo o tempo suficiente em cada lugar para experienciar a beleza, encontrar e curtir pessoas maravilhosas e aprender sobre aspectos raros da cultura. Eu sou recebida como uma embaixatriz do amor e da tranqüilidade em qualquer lugar que vá. Viajar de lugar a lugar é sempre fácil, confortável e seguro.

CASA

Eu vivo em uma bela casa que é simples, amorosa e confortável. O clima é quente e ensolarado, na maior parte do tempo e eu me sinto completamente segura aqui. Os alimentos e outros suprimentos que contribuem para o meu conforto e alegria são fáceis de adquirir e são fornecidos abundantemente. A visão da minha casa é verdadeiramente bela, com água e montanhas, com o nascer e o pôr do sol. Este lugar na Terra intensifica o meu sentimento de tranqüilidade, de criatividade e de poder. Minha casa ecoa as minhas cores, projetos e critérios favoritos e é cheia de objetos de arte que eu reuni de minhas viagens ao redor do mundo.

Uma das coisas mais maravilhosas, sobre este parque de diversões físico, que chamamos de Terra, é que as pessoas aqui têm gostos e desejos maravilhosamente diversos. Há um suprimento abundante de tudo, de modo que os desejos de todos podem ser satisfeitos. Há, entretanto, somente algumas pessoas (mas, felizmente, um número crescente), que sabem o que elas querem. Assim, se vocês não souberem, DESCUBRAM. E, então, estarão a caminho de criar o futuro que desejam.


Por Suzanna Kennedy

terça-feira, 17 de novembro de 2009

Poder Índigo Evolução Cristal



Autor(es) : Tereza Guerra
Categoria(s) : Educação Psicologia
Descrição: Depois do sucesso de vendas de Crianças Índigo - Uma Geração de Ponte com Outras Dimensões... no Planeta Índigo da Nova Era (Madras, 2006), Tereza Guerra, a maior especialista portuguesa em Educação dos tempos modernos, debruça-se sobre a autoconsciência índigo para jovens e adultos. Inteligentes, sensíveis, criativos e com tendência para questionar a ordem estabelecida, a vitalidade dos índigos é, muitas vezes, confundida com hiperatividade ou simples rebeldia. Mas a sua existência tem um propósito que devemos conhecer e aceitar, ajudando-os a desenvolver as suas inúmeras capacidades. Acreditar em suas aptidões e respeitar a sua evolução favorece a integração dos índigos em um ambiente mais favorável ao seu enorme potencial, prevenindo, assim, situações de risco como o estresse, a apatia e a depressão.
Poder Índigo e Evolução Cristal é uma obra de sucesso garantido entre todos os interessados em compreender as características que fazem desses indivíduos da Nova Era seres muito especiais. Esta é uma ferramenta primordial para pais, educadores e psicólogos da atualidade.
Release:Tereza Guerra é licenciada em Filosofia pela Universidade Clássica de Lisboa. Fez pós-graduação em Filosofia e Educação e mestrado em Ciências da Educação, área na qual atua há mais de 25 anos. Atualmente, desenvolve sua tese de doutorado justamente a respeito da educa-ção de crianças índigo. A autora afirma que, "na sociedade atual, a adaptação à escola tem implicações profundas no futuro do indivíduo. A criança e o jovem cada vez mais revelam rebeldia face ao institucionalizado, ao determinado, à autoridade. Nesse contexto, as crianças índigo são rotuladas, frequentemente, como rebeldes e, por vezes, são diagnosticadas com déficit de atenção, hiperatividade e outros distúrbios comportamentais que em nada as ajuda no seu crescimento". Com sua experiência como educadora e por ter ela mesma sofrido com as normas estabelecidas nos colégios onde estudou, Tereza criou, com Alain Aubry, a Fundação Casa Índigo, em Portugal, destinada ao estudo, esclare-cimento e desenvolvimento de atividades com crianças índigo, crianças cristal, jovens índigo, jovens cristal e outros. O projeto foi organizado com a colaboração de profissionais da educação, terapeutas, psicó-logos, médicos e pedagogos especializados que se disponibilizam no desenvolvimento de atividades de apoio e orientação - inclusive para pais, professores e educadores - sobre a temática "Crianças Índigo e Crianças Cristal". Essa metodologia se aproxima da teoria defendida pelo filósofo John Dewey. Para ele, a educação tem como finalidade propiciar à criança condições para que resolva seus problemas por si mesma, e não as tradicionais ideias de formação de acordo com modelos preesta-belecidos.

terça-feira, 10 de novembro de 2009

Indicação de leitura - Educando Crianças Índigo



Quem são as crianças índigo que estão nascendo por
toda parte e que tratam os adultos de igual para igual?
Por que são tão questionadoras e rebeldes? Como
educá-las? Como desenvolver seus potenciais? Como
discipliná-las para que cresçam saudáveis e integradas
à família e à sociedade?
Este livro, único no seu gênero - além de responder a estas e a muitas outras perguntas, sugere
uma educação voltada para os índigos. Trata-se de uma inédita Pedagogia de Valores, apropriada
a essa geração, que hoje é considerada o embrião de uma nova humanidade. Pais, educadores e
todos aqueles que convivem com os jovens precisam deste verdadeiro manual, não apenas para
entendê-los melhor, mas para encaminhá-los na direção da felicidade.
· Editora: Butterfly
· Autor: EGIDIO VECCHIO
· ISBN: 858847753X
· Origem: Nacional
· Ano: 2006
· Edição: 1
· Número de páginas: 224
· Acabamento: Brochura
· Formato: Médio
À venda nas melhores livrarias e na Atmam!

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

À procura de mais informações sobre o tema? Esse livro certamente muito ajudará a melhor conhecer o assunto! Ele está disponível nas melhores livrarias e sites de compra.
Você também poderá encontrá-lo na Loja da Atmam!
Boa leitura!

Título: Criança Índigo: uma Geração de Ponte com Outras
Editora: Madras
Resenha

Todos associam o termo "criança" à fase da infância, e "índigo", à cor anil. Porém, quando se faz a junção desses termos, o significado adquire um sentido mais amplo, ou seja, as crianças índigo popularizadas pelo escritor Lee Carrol, em meados dos anos de 1990, que possuem capacidades intelectuais e comportamentais peculiares. Saber lidar com essa geração não é nada fácil, pois ela é vista como um universo formado por crianças hiperativas e rebeldes, especialmente na escola. A importância de esclarecer esse novo conceito para pais, educadores, psicólogos e pedagogos é, portanto, fundamental, pois essas crianças possuem as características das futuras gerações que surgem para revolucionar universalmente a sociedade nos âmbitos educacional, familiar, social e espiritual, independentemente das fronteiras e classes sociais. Crianças Índigo pretende divulgar as informações adquiridas pela experiência da autora como educadora, a fim de preparar pais e professores para esse novo fenômeno. Segundo ela mesma afirma, esta obra não se trata de um manual, e sim de uma explanação sobre a natureza dessas crianças para que uma nova abordagem que possibilite extrair delas o máximo de seu potencial seja adotada nas escolas.

segunda-feira, 5 de outubro de 2009

Novo Sistema Educativo Para As Novas Crianças


Um estranho fenômeno está aparecendo sobre nosso Planeta e está diretamente relacionado com as crianças do mundo inteiro. Até agora temos dado muitos nomes a essas crianças e também muitos atributos, mas por mais que a chamemos de Crianças “Violeta”, “Cristal”, “Super-Psichicas” ou Índigo, estamos todos de acordo sobre um ponto: elas são diferentes.

As crianças são a expressão visível de um novo mundo, sem distância de geração. Um mundo de luz e cujas almas trazem os códigos da nova humanidade. Percebemos a diferencia em seu comportamento, elas parecem não se adaptar ao nosso sistema social: não aceitam facilmente a autoridade, não gostam de escola e parecem não ter nenhum um interesse em aprender. Possuem notas baixas na escola e agora a medicina os define portadores de novas enfermidades como o “déficit de atenção” e a “hiper-atividade”.

O numero crescente dessas crianças está chamando a atenção em todos os sistemas sociais, como pais, professores e médicos e todos estão de frente ao mesmo problema: como ensinar a uma criança que não presta atenção ao que dizemos e que não consegue parar de mecher o seu próprio corpo?

Isto chamou a atenção também dos institutos médicos, que após inúmeros estudos e experiências se encontraram de frente a uma descoberta surpreendente. Eles encontraram nessas crianças um novo sistema imunológico, que utiliza 24 codones ao invés de 20, como conhecido até agora. Além do que, tanto o sistema digestivo como respiratório dessas crianças também funcionam diferentemente. Mas foi quando começaram a estudar sua capacidade mental, que se depararam a uma grande surpresa: essas crianças possuem um QI de 160 de média, quando até hoje um QI considerado normal era em torno de 105 e no máximo 110.

Então porque os resultados escolares são tão baixos? Com esse potencial eles deveriam ser brilhantes nos estudos!

Nos últimos anos muitas pessoas têm buscado respostas para esse fenômeno e todas chegaram à mesma conclusão: o nosso sistema educativo não é adequado para essas novas crianças. Ele é muito lento, apegado a valores que não tem mais razão de existir e é extremamente focado no mental e deixa pouco espaço para a criatividade. É baseado em “ser o melhor” no lugar de “buscar o melhor de si”. De todas as instituições sociais, o sistema educativo é aquele que menos evoluiu e sabemos da sua importância pois é sobre ele que todos os outros sistemas se baseiam.

Os novos seres da nossa humanidade são a manifestação visível de um novo mundo e é sobre essa realidade latente, que está a semente da nova humanidade. Essas crianças são muitas determinadas e estão convencidas de que a realidade apresenta uma dimensão superior aquela que percebemos comumentemente. Elas sabem que podemos mudar este mundo e sabem como agir, sem se basear nos diferentes códigos de seus genitores. Elas são mais livres, prontas para mudanças repentinas e não são afetadas por medos inconscientes.

Como agir com esses seres que trazem em si os códigos da nova humanidade?

A primeira coisa sobre a qual é preciso trazer nossa atenção, é a forma com a qual nos comunicamos com eles. Temos a tendência a tomar uma postura de superioridade devido ao fato de estarmos ensinando e isso nos impede de encontrar um terreno comum onde se pode compartilhar. A comunicação se torna possível a partir do momento onde as duas partes são respeitadas em suas essências. O fato de estarmos ensinando ao outro, não significa que ele seja inferior.

Outro ponto muito importante é o espaço. Essa nova geração precisa de muito espaço criativo e é muito importante equilibrar os ensinamentos que desenvolvem os dois hemisférios do cérebro: em outras palavras, equilibrar o conhecimento informativo com expressão artística. O tempo e o espaço dado para expressão criativa é o processo que permite a informação de ser integrada à memória celular.

O espaço para trabalhos manuais para essas crianças deve oferecer material referente a técnicas variadas de expressão artística como cerâmica, pintura, escultura, música, jardinagem, etc. Como também yoga, esportes, exercícios respiratórios e meditação. Elas precisam se sentir livres em escolher a expressão que querem utilizar, como também para mudarem de uma para outra quando quiserem. Temos a tendência de impedir esse tipo de liberdade por medo de perdermos o controle da situação e isso nos leva, na maioria dos casos, a não permitir que a criança faça que quer e, principalmente, podar sua aptidão e habilidade no que fazer.

A velocidade é um outro fator que não podemos deixar de lado. Essas crianças são muito mais rápidas que nós. Cada vez mais se torna evidente para todos os seres humanos que estamos em plena aceleração dos eventos sobre a Terra e que o tempo não tem mais o mesmo valor. Esse é o fator que faz com que essas crianças absorvam as informações com grande velocidade, tornando necessário a freqüente mudança de assunto a fim de que não se aborreçam facilmente com o tema abordado.

Seguindo a inúmeras buscas, descobrimos que essas crianças são capazes de focar sua atenção em um assunto por um tempo máximo de quinze minutos e que depois disso precisam se mecher ou mudar o foco da sua atenção. Sendo assim, não é mais possível segura-las de quatro a cinco horas sentados em uma cadeira, digerindo informações. É necessário saber escolher bem os assuntos que serão ensinados nesses quinze minutos no quais temos sua atenção total, para isso é importante que nós, os adultos, aprendamos a reconhecer e transmitir a essência das coisas, para não aborrece-los e privá-los de desenvolver sua criatividade. Eles precisam agir, reagir, criar e se expressar!

O que mais surpreendeu nesses estudos foi a capacidade que essas crianças possuem em entender assuntos, mesmo mais complicados, a partir do momento que lhe damos o espaço necessário para a integração da informação na memória celular. Devido a sua inteligência elevada, não podemos subestimar a capacidade dessas crianças! Hoje em dia torna-se mais evidente que todo ser humano traz o conhecimento dentro de si, valendo isso para os adultos como para as crianças. O que temos que fazer é simplesmente ativar a memória de quem realmente somos. É nessa direção que o ensino deve ser orientado. Eles precisam de uma dinâmica de aprendizagem diferente, que não permita esquecerem quem são e o que vieram fazer no Planeta. Até agora, quando aplicada, essa técnica de ensino tem trazido resultados muito positivos para a hiper atividade e o déficit de atenção, chegando a saná-los. As crianças são mais calmas e felizes e a relação com os pais mais harmoniosa.

Precisamos começar a trazer confiança a essas crianças e permitir que elas nos mostrem quem são de verdade. Elas trazem em sua forma de ser as respostas que buscamos para criar um mundo melhor.

Para facilitar a missão desses seres, temos que permanecer muito atentos e aceitar as suas inclinações naturais, sem medos e sem travas. Eles estão aqui para nos mostrar uma forma mais simples de alcançar a paz. Eles querem nos mostrar como ser felizes.

MA

quarta-feira, 30 de setembro de 2009

Palestra Crianças Indigo

Olá,

Nesta sexta, dia 02, às 19h, teremos uma nova palestra sobre o assunto.

Venha participar com a gente e traga seus amigos!

Vocês serão muito bem vindos!!

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

Dia da árvore - Vamos plantar uma árvore?

Olá!
Respeito à Natureza e sua preservação fazem parte do nosso dia! Vamos passar isso às nossas crianças!
Namastê!



1º passo - Escolha da muda
Antes de plantar sua muda, é importante saber qual o melhor local para ela, já que algumas espécies precisam de sol outras de sombra, algumas de umidade e outras de um solo árido. Escolha uma mudinha e veja qual seu habitat favorito.




2º passo - Local
Para começar, precisamos escolher um lugar seguro para sua árvore crescer muito bem, com espaço para sua copa, longe de casas e fiação elétrica. Jardins, parques e praças são lugares perfeitos. Nesses lugares, o solo é mais rico em nutrientes.


3º passo - Fazendo o buraco
Vamos fazer um buraco de mais ou menos meio metro de profundidade. Se formos plantar mais de uma árvore, temos que dar uma distância de no mínimo três metros entre elas, certo? Assim sua copa terá bastante espaço para crescer.


4º passo - Plantio
Toda muda vem dentro de um saco plástico, vamos retirá-lo com cuidado para não desmanchar o torrão. Colocamos a muda no buraco e vamos cobrir de terra até a superfície. A muda precisa estar no nível do chão e bem retinha. Não podemos cobrir seu caule, tudo bem?




5º passo - Vala para água
Em volta da muda, vamos fazer uma vala em círculo. Esta vala vai ajudar a muda a captar água da chuva. Vamos agora regar bastante, mas não encharcá-la!


6º passo - Cuidados
Se sua muda estiver um pouco tombada, vale colocar uma estaca de madeira ao seu lado e amarrá-la com linha ou barbante, assim ela tem um apoio para crescer bem. Quando o tempo estiver seco, vamos regá-la a cada quatro dias, certo?



7º passo - Prontinho!
Nossa muda está pronta para crescer e se tornar uma linda árvore. Nossa amiga para o pic do pega-a-pega, para o esconderijo do esconde-esconde ou para um cochilo no meio da tarde. Boa plantação, pessoal!
Atividade desenvolvida e cedida pela Casinha na Árvore
Ilustração: Casinha na Árvore

quinta-feira, 10 de setembro de 2009

O Contrato entre Pais e Filhos


Antes de uma alma encarnar na Terra ela seleciona um local e a família que preencherá as suas necessidades espirituais de crescimento e evolução. Vocês podem estar certos que as vossas crianças os selecionaram por uma razão que as conduzirá ao crescimento delas assim como também ao vosso, pois estes contratos de alma são sempre de natureza mútua.Os pais se responsabilizam por criar a alma que chega a seu corpo jovem assim como protegê-la e dar-lhe tudo o que necessita para sobreviver no plano material. Os pais também se responsabilizam por ajudar no desenvolvimento de quaisquer habilidades e talentos que possam fazer parte da missão espiritual da criança neste planeta.

A criança, por sua vez, responsabiliza-se em ajudar os pais a elevarem a sua consciência através da convivência com uma alma de vibração superior e de mais profunda sabedoria. Este é o caminho natural da evolução, onde a alma da criança está sempre numa espiral superior de evolução e podendo, portanto, auxiliar os pais a também evoluírem. Mas os pais necessitam estar conscientes desta dádiva. Tantos pais adormecidos vêem suas crianças como seres vulneráveis, que necessitam ser controladas e moldadas, que são incapazes de ver a sabedoria e a dádiva que vem com cada criança.

Na futura Nova Terra, cada criança que nascer será reconhecida por sua sabedoria como alma. E os pais estarão conscientes de seu contrato com a criança, e buscarão cumpri-lo juntamente com suas obrigações materiais para o bem estar físico da criança.

Criança Índigo

Os pais que aceitam apoiar e criar uma criança da vibração Índigo concordaram em ser os zeladores de uma alma que traz uma nova forma de energia para o Planeta. Crianças Índigo são almas pioneiras e seus pais acordaram em juntarem-se a eles para serem os pioneiros de novas formas de vida familiar e comunitária.A missão da alma da criança é questionar e desafar velhas formas e criar o caminho para a manifestação de novas formas. Uma criança Índigo é também sensível, amorosa, talentosa e intuitiva. Os pais responsabilizam-se em encontrar formas de estimular esta sensível e bela energia e ajudar no desenvolvimento dos dons e talentos da criança até ao ponto que puderem.

A criança, por sua vez, se compromete a ser a instrutora de novos caminhos. Mas para fazer isto precisa desafiar e questionar os velhos caminhos. A criança Índigo faz isto de duas maneiras. Primeiramente, ele ou ela questiona ou desafia todos os sistemas de crenças e “regras” que vocês ou qualquer outra pessoa tente impor a elas. Desta forma elas lhes mostrarão o que funciona para elas e o que não e dependerá de vocês, como pais, ouvirem e aprenderem e não tentarem impor a vossa vontade a elas.

O segundo método de ensinamento é a criança prover um “espelho” para os pais. A criança aceita os padrões disfuncionais que os pais estão a fazer prevalecer nas suas vidas. Estes padrões têm geralmente a ver com a baixa auto-estima e a não aceitação do eu. É por isto que tantos Índigos entram em padrões auto-destrutivos de abuso de drogas e promiscuidade sexual. Eles estão refletindo de volta à suas famílias e comunidades os padrões auto-destrutivos que eles aprenderam.

É também por isto que muitos pais de Indigos lutam com os padrões de comportamento aparentemente destrutivos dos adolescentes Índigos. Os pais precisam compreender que necessitam examinar os seus próprios padrões destrutivos e começar a vivenciar padrões mais amorosos e revigorantes que auxiliem a si e à suas crianças. Quantos pais preenchem suas mentes e corpos com pensamentos e substâncias tóxicas e gastam seu tempo com trabalhos que não gostam, anulando os seus verdadeiros sentimentos? A vossa criança Índigo o alertará disto e será o vosso guia para libertá-los destas formas de ser aprendidas e herdadas. Elas vos ajudarão a despertarem para quem e o que vocês são e para o que vocês são capazes quando são verdadeiros consigo mesmos.

Crianças Cristal

A criança da vibração Cristal traz um tipo diferente de contrato com os pais. Pode-se dizer que onde as Índigo são a equipe de demolição, as Cristal são os construtores. É por isto que Índigos e Cristais encarnam com tanta freqüência na mesma família. Isto permite que sejam removidas as velhas estruturas e as novas sejam construídas.Mas uma criança Cristal é um ser de vibração muito alta e a missão de sua alma inclui trabalhar na Rede Planetária Cristal e manter a energia para facilitar a mudança global. Assim sendo, o contrato com a criança Cristal é ainda mais desafiador para os pais que precisam compreender que esta pequena criança é também uma alma sábia e poderosa cujo trabalho se estende além dos estreitos perímetros da família.É por isto que as crianças Cristal estão frequentemente estressadas e superenergizadas. Elas estão trabalhando com as energias daqueles à sua volta, não apenas ao nível familiar, mas também ao amplo nível comunitário. O desafio é dos pais em compreenderem a natureza do trabalho do ser e alma da criança Cristal e tentarem apoiá-los de acordo.

Em retorno, a criança Cristal auxiliará no crescimento espiritual dos pais. A criança Cristal é capaz de “atrair” para a vida dos pais as pessoas e eventos que os pais necessitam para seu desenvolvimento. Isto é porque a consciência da criança Cristal frequentemente se estende de forma muito ampla e pode localizar e atrair aqueles seres que poderão ser mais benéficos naquele momento para a família. Portanto, pais de crianças Cristal frequentemente se encontram numa trilha de acelerado crescimento e desenvolvimento que é a dádiva de sua criança.

O crescimento espiritual irá auxiliar mais frequentemente a criar um nível superior de consciência dentro da família e também a criar novas formas de interação familiar e respeito. O ensinamento mais poderoso aqui é o da “Igualdade do ser”. A criança Cristal presenteia a família com energias poderosas, amorosas e criativas. É o “equivalente” dos pais e precisa ser tratada com exatamente o mesmo amor, respeito e honra.

No futuro, as crianças serão consideradas como iguais e com “direitos” iguais na família e não apenas como dependentes. As crianças serão consultadas nos assuntos familiares que as afete e lhes serão dadas opções e escolhas. Este é o ensinamento delas e seu contrato com vocês, como pais – honra, respeito, apoio e amor, que é mutuo e mutuamente benéfico.

Arcanjo Miguel através de Célia Fenn

terça-feira, 1 de setembro de 2009

MENSAGEIROS DA ETERNIDADE


s, os sensíveis, temos a luz brilhando dentro de nós.
A nossa sabedoria muitas vezes pode ser confundida com a loucura por pessoas de mentira...por aquelas pessoas que vivem presas a um mundo automático. Nós, os sentimentais, os alquimistas, os arrependidos pelos erros,
os filhos amados que foram deixados pra trás num deserto...os que têm fé inabalável, os sonhadores.
Os loucos de amor muitas vezes já fomos considerados as ovelhas negras da família...mas os nossos sentimentos profundos como o mar...nos transformaram, aos poucos, em cordeiros mansos que pastam felizes pelos campos verdes... Dentro de nós ardem paixões interiores capazes de derreter qualquer geleira.

Nós já morremos incontáveis vezes... já renascemos outras tantas mais fortes,
mas determinados em encontrar a nossa felicidade.Nós, os sensíveis, somos invencíveis pelas lágrimas e...
imbatíveis pelo sorriso...Muitos de nós, os sensíveis, carregamos na alma e até nos corpos, marcas da nossa paixão pela vida.Do mais fraco ao mais forte, do mais bonito ao mais feio.Não somos medidos pela nossa formosura ou pela grandeza do nosso corpo...mas somos admirados pelo poder do nosso coração,
pela força que emanamos de dentro de nosso olhar....e as pessoas de mentira ficam sem entender como nós,os sensíveis, conseguimos ter tanto poder!Nós os sensíveis estamos aqui para fazer a diferença.
Ninguém nos conhece pela superfície...mas pela profundidade de nossos bons pensamentos.

Não somos santos...mas somos anjos. Não somos perfeitos... mas é na nossa imperfeição que mostramos nossas maiores virtudes.Não é pela casca que queremos ser conhecidos. Queremos um relacionamento íntimo com tudo e com todos que nos cercam.Podemos errar...fracassar em quase tudo, mas jamais fracassaremos como seres humanos. Somos incompreendidos, porque muitas vezes não sabemos expressar quem somos de verdade.Ainda que o nosso corpo envelheça e fique doente... nada pode tocar o coração de um sensível
senão a mão do Supremo Criador.Nós, os sensíveis...mesmo de longe nos juntamos em espírito num coral para cantar uma canção que curará toda pessoa de mentira.Por alguns instantes o mundo parará para ouvir o nosso canto,
e se apaziguará por alguns poucos momentos...E por alguns momentos elas também vão ser sensíveis como nós... quando perceberem que no rosto do outro
está o espelho de sua própria face.Nós, os sensíveis, temos o dom de sentir o que os outros sentem...de traduzir seus pensamentos porque nosso coração capta o que os outros corações transmitem...

Mas nós somos uma brasa viva no meio da neve... ou um oásis o meio do deserto.Estamos aqui para mostrar aos outros que a alma existe... e que a matéria passará. Mas que temos vida para todo o sempre.Somos donos da sabedoria universal. Acreditamos num Deus comum a todos seres humanos.
Num Deus que habita todas as religiões.Num abraço do sensível está a graça do Universo.
Nós, os sensíveis, somos os mensageiros da eternidade...

Texto de André Aquino

segunda-feira, 24 de agosto de 2009

Crianças Índigo e Cristal



Entrevista de Divaldo Pereira Franco ao Programa Televisivo "O Espiritismo Responde", da União Regional Espírita – 7ª Região, Maringá, em 21.03.2007.



Espiritismo Responde - Um de seus mais recentes livros publicados tem por título “A Nova Geração: A visão Espírita sobre as crianças índigo e cristal”.


Quem são as crianças índigo e cristal?

Divaldo – Desde os anos 70, aproximadamente, psicólogos, psicoterapeutas e pedagogos começaram a notar a presença de uma geração estranha, muito peculiar.
Tratava-se de crianças rebeldes, hiperativas que foram imediatamente catalogadas como crianças patologicamente necessitadas de apoio médico. Mais tarde, com as observações de outros psicólogos chegou-se à conclusão de que se trata de uma nova geração. Uma geração espiritual e especial, para este momento de grande transição de mundo de provas e de expiações que irá alcançar o nível de mundo de regeneração.
As crianças índigo são assim chamadas porque possuem uma aura na tonalidade azul, aquela tonalidade índigo dos blue jeans (Dra. Nancy Ann Tape).
O índigo é uma planta da Índia (indigofera tinctoria), da qual se extrai essa coloração que se aplicava em calças e hoje nas roupas em geral. Essas crianças índigo sempre apresentam um comportamento sui generis.
Desde cedo demonstram estar conscientes de que pertencem a uma geração especial. São crianças portadoras de alto nível de inteligência, e que, posteriormente, foram classificadas em quatro grupos: artistas, humanistas, conceituais e interdimensionais ou transdimensionais.
As crianças cristal são aquelas que apresentam uma aura alvinitente, razão pela qual passaram a ser denominadas dessa maneira.
A partir dos anos 80, ei-las reencarnando- se em massa, o que tem exigido uma necessária mudança de padrões metodológicos na pedagogia, uma nova psicoterapia a fim de serem atendidas, desde que serão as continuadoras do desenvolvimento intelecto-moral da Humanidade.



ER – Essas crianças não poderiam ser confundidas com as portadoras de transtornos da personalidade, de comportamento, distúrbios da atenção? Como identificá-las com segurança?


Divaldo - Essa é uma grande dificuldade que os psicólogos têm experimentado, porque normalmente existem as crianças que são portadoras de transtornos da personalidade (DDA) e aquelas que, além dos transtornos da aprendizagem, são também hiperativas (DTAH), mas os estudiosos classificaram em 10 itens as características de uma criança índigo, assim como de uma criança cristal.
A criança índigo tem absoluta consciência daquilo que está fazendo, é rebelde por temperamento, não fica em fila, não é capaz de permanecer sentada durante um determinado período, não teme ameaças...
Não é possível com essas crianças fazermos certos tipos de chantagem. É necessário dialogar, falar com naturalidade, conviver e amá-las.
Para tanto, os especialistas elegem como métodos educacionais algumas das propostas da doutora Maria Montessori, que criou, em Roma, no ano de 1907, a sua célebre Casa dei Bambini, assim como as notáveis contribuições pedagógicas do Dr. Rudolf Steiner. Steiner é o criador da antroposofia. Ele apresentou, em Stuttgart, na Alemanha, os seus métodos pedagógicos, a partir de 1919, que foram chamados Waldorf.
A partir daquela época, os métodos Waldorf começaram a ser aplicados em diversos países. Em que consistem? Amor à criança. A criança não é um adulto em miniatura. É um ser que está sendo formado, que merece o nosso melhor carinho. A criança não é objeto de exibição, e deve ser tratada como criança. Sem pieguismo, mas também sem exigências acima do seu nível intelectual.
Então, essas crianças esperam encontrar uma visão diferenciada, porque, ao serem matriculadas em escolas convencionais, tornam-se quase insuportáveis. São tidas como DDA ou DTAH. São as crianças com déficit de atenção e hiperativas. Nesse caso, os médicos vêm recomendando, principalmente nos Estados Unidos e na Europa, a Ritalina, uma droga profundamente perturbadora. É chamada a droga da obediência.
A criança fica acessível, sim, mas ela perde a espontaneidade. O seu cérebro carregado da substância química, quando essa criança atinge a adolescência, certamente irá ter necessidade de outro tipo de droga, derrapando na drogadição.
Daí é necessário muito cuidado.
Os pais, em casa (como normalmente os pais quase nunca estão em casa e suas crianças são cuidadas por pessoas remuneradas que lhes dão informações, nem sempre corretas) deverão observar a conduta dos filhos, evitar punições quando errem, ao mesmo tempo colocando limites. Qualquer tipo de agressividade torna-as rebeldes, o que pode levar algumas a se tornar criminosos seriais. Os estudos generalizados demonstram que algumas delas têm pendores artísticos especiais, enquanto outras são portadoras de grandes sentimentos humanistas, outras mais são emocionais e outras ainda são portadoras de natureza transcendental.
Aquelas transcendentais, provavelmente serão os grandes e nobres governantes da Humanidade no futuro.
As artísticas vêm trazer uma visão diferenciada a respeito do Mundo, da arte, da beleza. Qualquer tipo de punição provoca-lhes ressentimento, amargura que podem levar à violência, à perversidade.


ER – Você se referiu às características mentais, emocionais dessas crianças. Elas têm alguma característica física própria? Você tem informação se o DNA delas é diferente?


Divaldo - Ainda não se tem, que eu saiba, uma especificação sobre ela, no que diz respeito ao DNA, mas acredita-se que, através de gerações sucessivas, haverá uma mudança profunda nos genes, a fim de poderem ampliar o neocórtex, oferecendo-lhe mais amplas e mais complexas faculdades. Tratando-se de Espíritos de uma outra dimensão, é como se ficassem enjauladas na nossa aparelhagem cerebral, não encontrando correspondentes próprios para expressar-se. Através das gerações sucessivas, o perispírito irá modelar-lhes o cérebro, tornando-o ainda mais privilegiado.
Como o nosso cérebro de hoje é um edifício de três andares, desde a parte réptil, à mamífera e ao neocórtex que é a área superior, as emoções dessas crianças irão criar uma parte mais nobre, acredito, para propiciar-lhes a capacidade de comunicar-se psiquicamente, vivenciando a intuição.
Características físicas existem, sim, algumas. Os estudiosos especializados na área, dizem que as crianças cristal têm os olhos maiores, possuem a capacidade para observar o mundo com profundidade, dirigindo-se às pessoas com certa altivez e até com certo atrevimento. .. Têm dificuldade em falar com rapidez, demorando-se para consegui-lo a partir dos 3 ou dos 4 anos. Entendemos a ocorrência, considerando- se que, vindo de uma dimensão em que a verbalização é diferente, primeiro têm que ouvir muito para criar o vocabulário e poderem comunicar-se conosco. Então, são essas observações iniciais que estão sendo debatidas pelos pedagogos.


ER – Com que objetivo estão reencarnando na Terra?
Divaldo - Allan Kardec, com a sabedoria que lhe era peculiar, no último capítulo do livro "A Gênese", refere-se à nova geração que viria de uma outra dimensão. Da mesma forma que no tempo do Pithecanthropus erectus vieram os denominados Exilados de Capela ou de onde quer que seja, porque há muita resistência de alguns estudiosos a respeito dessa tese, a verdade é que vieram muitos Espíritos de uma outra dimensão. Foram eles que produziram a grande transição, denominada por Darwin como o Elo Perdido, porque aqueles Espíritos que vieram de uma dimensão superior traziam o perispírito já formado e plasmaram, nas gerações imediatas, o nosso biótipo, o corpo, conforme o conhecemos.
Logo depois, cumprida a tarefa na Terra, retornaram aos seus lares, como diz a Bíblia, ao referir-se ao anjo que se rebelara contra Deus – Lúcifer.
Na atualidade, esses lucíferes voltaram. Somente que, neste outro grande momento, estão vindo de Alcione, uma estrela de 3ª. grandeza do grupo das plêiades, constituídas por sete estrelas, conhecidas pelos gregos, pelos chineses antigos e que fazem parte da Constelação de Touro.
Esses Espíritos vêm agora em uma missão muito diferente dos capelinos.
É claro que nem todos serão bons. Todos os índigos apresentarão altos níveis intelectuais, mas os cristais serão, ao mesmo tempo, intelectualizados e moralmente elevados.
ER – Já que eles estão chegando há cerca de 20, 30 anos, nós temos aí uma juventude que já está fazendo diferença no Mundo?

Divaldo – Acredito que sim. Podemos observar, por exemplo, e a imprensa está mostrando, nesse momento, gênios precoces, como o jovem americano Jay Greenberg considerado como o novo Mozart. Ele começou a compor aos quatro anos de idade. Aos seis anos, compôs a sua sinfonia. Já compôs cinco. Recentemente, foi acompanhar a gravação de uma das suas sinfonias pela Orquestra Sinfônica de Londres para observar se não adulteravam qualquer coisa.
O que é fascinante neste jovem, é que ele não compõe apenas a partitura central, mas todos os instrumentos, e quando lhe perguntam como é possível, ele responde: “Eu não faço nenhum esforço, está tudo na minha mente”.
Durante as aulas de matemática, ele compõe música. A matemática não lhe interessa e nem uma outra doutrina qualquer. É mais curioso ainda, quando afirma que o seu cérebro possui três canais de músicas diferentes. Ele ouve simultaneamente todas, sem nenhuma perturbação. Concluo que não é da nossa geração, mas que veio de outra dimensão.
Não somente ele, mas muitos outros, que têm chamado a atenção dos estudiosos. No México, um menino de seis anos dá aulas a professores de Medicina e assim por diante... Fora aqueles que estão perdidos no anonimato.

ER – O que você diria aos pais que se encontram diante de filhos que apresentam essas características?

Divaldo - Os técnicos dizem que é uma grande honra tê-los e um grande desafio, porque são crianças difíceis no tratamento diário. São afetuosas, mas tecnicamente rebeldes. Serão conquistadas pela ternura. São crianças um pouco destrutivas, mas não por perversidade e sim por curiosidade.
Como vêm de uma dimensão onde os objetos não são familiares, quando vêem alguma coisa diferente, algum objeto, arrebentam-no para poder olhar-lhes a estrutura.
São crianças que devemos educar apelando para a lógica, o bom tom.
A criança deve ser orientada, esclarecida, repetidas vezes.
Voltarmos aos dias da educação doméstica, quando nossas mães nos colocavam no colo, falavam conosco, ensinavam-nos a orar, orientavam-nos nas boas maneiras, nas técnicas de uma vida saudável, nos falavam de ternura e nos tornavam o coração muito doce, são os métodos para tratar as modernas crianças, todas elas, índigo, cristal ou não.

quarta-feira, 19 de agosto de 2009

Crianças Índigo
Estou receptivo ao novo?
São crianças que sempre existiram, mas chegaram em maior número na Nova Era ou Era de Aquário. Trazem outra característica de ver a vida.

Em primeiro lugar e antes de se falar do especial desses seres, é preciso ficar claro que enquanto crianças - deve-se levar em conta a idade cronológica e biológica, colocando-se limites com clareza e precisão, mostrando as conseqüências positivas e negativas dos seus atos (apesar de que isso serve para todo Ser! ).

Essas crianças trazem como meta preparar o campo magnético da Nova Terra e ajudar na expansão da consciência das pessoas.

Sua função é expressar a espiritualidade prática. Elas servem como catalisadoras de reações necessárias para a Transformação do Planeta. Vieram preparar o ambiente para a TERRA FUTURA!

As crianças Índigo têm seu campo energético da cor índigo esverdeado, o que lhes conferiu esse nome, mas na verdade é porque possuem uma aura mais magnética.

Elas têm muito mais potencial a oferecer, pois trazem o registro da nova conduta e vem nos informar e orientar no caminho (retirar as crenças). É importante enfatizar que elas não vêm com isso pronto... O que elas tem pronto é a disponibilidade, a flexibilidade e a vontade.

O “COMO FAZER” elas vão montando e nos ensinando ao mesmo tempo... (lembrar que todas as coisas são passíveis de mudanças)

Como ajudá-las? Não ser só pai e mãe, mas ser aqueles que vão ajudar a criança a caminhar com os novos valores, buscando maior preparo interno.
Ser guardiões!
Acompanhar, Amar incondicionalmente E Libertar...
Crer e saber que aquele que trouxe vai encaminhar as coisas...

Crianças Indigo

Nossas Crianças bem ajustadas farão o que vieram fazer e contam com cada um de nós.

Queremos fazer por eles o que gostaríamos que tivessem feito por nós.

Este assunto interessa a você?
A Atmam trabalha com pais, professores e Criaças Indigo há muito tempo. Formou um Grupo de Estudos composto por Terapeutas, Psicológos, Educadores, Universitários, Pais, Crianças Indigo e diversas pessoas interessadas neste assunto. A Atmam oferece acompanhamento, aconselhamento, terapias específicas para tratamento dos desequelíbrios que advém da falta de conhecimento deste assunto.

Realizamos e oferecemos Palestas, Workshops, Encontros em Grupo sobre este tema que cada vez mais chega até nós nos dias de hoje!

Informe-se sobre palestras na Atmam e em Escolas!

Venha nos conhecer, teremos imenso prazer em recebê-los!